domingo, 16 de agosto de 2009

Pontuando a vida

"As reticências são os 3 primeiros passos do pensamento que continua por conta própria, o seu caminho..."
Mário Quintana


Sempre que penso nas coisas que estou vivendo, atribuo algum tipo de pontuação para cada momento. Então, situações que quero que continuem, mentalmente, pontuo com o ponto de segmento, outras que eu quero que continuem, porém, de um jeito novo, nova fase, coloco o ponto parágrafo. E assim eu vou...faço isso tão naturalmente dentro da minha cabeça que só percebi o quanto é engraçado, quando confessei a um amigo numa conversa pelo MSN. Ele ria muito!
É bem verdade que, sempre achei que tinha essa tendência ao TOC e, talvez, essa " mania de pontuar acontecimentos", seja uma das evidências( uma...porque tenho várias outras: coloco sempre o pé direito primeiro quando levanto, o rótulo das coisas tem que estar sempre virado para a frente...).
As pontuações mais usadas nesses meus trinta (e quase) um anos são as reticências e a interrogação. Costumo usar as reticências porque sempre deixo as coisas em aberto ou protelo resoluções ( é tudo uma questão de fé!rs). Enquanto não decido se coloco ponto de segmento ou ponto final, deixo "no ar" com as reticências. Apesar de dizerem que mesmo quando decidimos não agir, já estamos agindo, eu sempre prefiro pensar mais um pouco. E é aí que começo a colocar interrogações em tudo: "Porque? Pra que? Será? E se..?". Penso como seria caso fosse. Ou não fosse. Enfim, estou sempre querendo entender o motivo de certos fatos acontecerem, de certas atitudes, entender certas pessoas. Claro, isso nunca me dá respostas concretas porque existem infinitas variáveis pra tudo, então, nesse caso, quando canso de pensar e colocar interrogações, lanço sem pestanejar, as reticências...Porque elas é que deveriam estar nos finais de todos os questionamentos assim, filosóficos.
Bom, mas toda essa conversa é para dizer que acabo de decidir colocar o ponto final em mais uma questão da minha vida. Quem me conhece, sabe o quanto é raro a decisão do ponto final partir de mim, normalmente, a vida vem e impõe o , necessário, ponto final.
E é assim , ainda meio na dúvida, se fui eu ou a vida que colocou o ponto final, que afirmo que essa é uma decisão "irrevogável" por, no mínimo, 7 anos. Eu sei, eu sei...7 é conta de mentiroso...mas vai que eu repenso mais lá na frente e resolvo mudar a pontuação...
Afinal de contas, pra que inventaram o corretivo, se não para que não rasurássemos a vida???