quinta-feira, 8 de outubro de 2009

"Mentiras sinceras me interessam..."




A Aposta dos Santos

Naquele instante, alguns dos mais prestigiados e requisitados santos com endereço naquela belíssima baía, pararam os seus afazeres para acompanhar atentamente aquela conversa. Afinal, o casal sentado à mesa, pretendendo contar com as bênçãos protetoras de todos eles, escolheu aquele sugestivo altar na cabeceira da Baía de Todos os Santos para esgotar as últimas palavras como simples amigos e iniciar o que prometia ser um lindo romance.

Os santos, eufóricos com a oportunidade de futricar e influir, fizeram entre si (pasmem!) uma bolsa de apostas para premiar quem acertasse o que ele faria diante daquela pontiaguda pergunta que ela acabara de disparar-lhe: Diria a verdade, pondo tudo a perder? Mentiria em nome daquela arrebatadora paixão, ou diria uma meia-verdade, ou quase uma mentira, como normalmente se faz em situações semelhantes?

A maioria deles apostou na última hipótese. Perderam feio. Ele preferiu a verdade. A verdade que afasta, que segrega, que impede. A verdade que moraliza, mas que distancia e isola. A verdade malsoante, ímpia, falsamente importante.

Até ela se surpreendeu. Não era aquela verdade que ela gostaria de ouvir. Aquela verdade, ali, naquele momento, não cumpriria nem minimamente qualquer das suas nobres funções. Quais sejam: Fazer justiça, promover o bem-estar e tornar-se exemplo. Fazer justiça? Que justiça foi feita separando-os? Bem-estar de quem? De quem irá sofrer por tê-la usado? Tornar-se exemplo... Quem quer exemplos que nos afastam do que mais desejamos? Não, definitivamente, ele errou!

Quem sabe ele não devesse ter agido como agem sempre naqueles fins de tarde inícios de noite, o sol e a lua? Diante do crepúsculo que se debruça sobre aquela imensa baía, quando, capciosamente, os santos lhes perguntam se já é hora de sair, a lua, louca pra se exibir, diz que sim, que já está pronta. Já o sol, sempre arrogante e afogueado, diz que não, que ainda é dia. Ambos dão mais de um sentido e várias utilidades à verdade. No entanto, a noite, eterna confidente de verdades e mentiras, não se atrasa nem um segundinho sequer por causa disso.

Augusto Serra



*
E eu, que já estive dos dois lados de situações como essa...

domingo, 27 de setembro de 2009

Férias (1ª parte)




Entrei de férias e tive menos tempo ainda pra vir dizer as coisas aqui.(praia ocupa bastante o tempo da gente!!). E olhe que sempre tenho tantas coisas pra dizer...talvez por isso, ás vezes eu prefira o silêncio. Não posto, não falo, não brigo, não reajo. Pra falar a verdade verdadeira, choro sozinha de vez em quando. Mas é só porque eu sou muito chorona mesmo...





15 de setembro de 2009

"Parece que Recife está chorando comigo.
De saudade e abandono.
Parece que Recife sente a agonia de minha alma sufocando tantos planos e anseios.
Você está sentindo a tristeza no ar de Recife?"

Jorge Azevedo


Recife, definitivamente, não é um lugar que me faça feliz. Talvez teenha sido porque a nossa relação já começou errada: a 1ª vez, saí de Salvador fugindo de problemas, mas acho que, na verdade, os trouxe pra cá. Ou, pelo menos, o ranço daquela fase ruim, eu deixei aqui.

Sim, claro, vivi momentos bacanas, conheci pessoas legais que eu espero levar pra minha vida toda e outras que preferiram ficar pelo caminho...

E hoje, fazendo um balanço da minha relação com essa cidade, vejo que perdi (mesmo quando achei que tinha ganho!). Digo isso porque já fui e voltei várias vezes e não consigo ficar bem nesse lugar. Sempre volto pra casa mais cabisbaixa, mais pensativa (se isso é possível) e desejando colo...colo de mãe. Desejo o cheiro da minha cama, o meu colchão-cúmplice, o travesseiro que aconchega essa minha cabeça tão pensante.

Por ironia, foi Recife que me deu um novo ar quando precisei. Sonhei viver coisas lindas aqui e foi isso que m fez voltar tantas vezes para fazer com que essa relação desse certo, mas não deu. Cada vez, deixo em mais cantos da cidade essa sensação ruim que me toma agora. E eu não quero que isso avance por Calhetas e Porto de Galinhas que são lugares belíssimos! Seria até pecado se eu permitisse uma barbaridade dessa!

A coisa é tão acintosa que, dessa vez, todos os dias estiveram nublados ou chuvosos. Claro, o calor esteve presente para lembrar-me que eu poderia estar na praia não fossem aquelas nuvens...pois, no 1° dia, eu fui mesmo!!! Sou ousada!!! Aí, nos dias seguintes...choveu!!!

- Pois é, Recife, você abriga meu irmão, minha cunhada e excelentes amigos que fiz, mas não sei se vai dar pra voltar...não digo NUNCA porque deixo todos esses meus tesouros aqui. Então, quem sabe numa outra situação, num outro momento da minha vida, eu apareça novamente. Por enquanto, você me vence mais uma vez e eu te parabenizo por isso.




terça-feira, 15 de setembro de 2009

"Todo mundo é parecido quando sente dor" - Carta para o sobrinho

Rafa,



Desde que soube do fim do seu namoro com Bia, senti uma necessidade real de te abraçar. Pra mim, através do abraço a gente passa os nossos sentimentos. Bons ou ruins. E era exatamente o que eu queria que acontecesse: queria que um pouco da sua dor passasse pra mim e, esse lugar vago , fosse preenchido pelos bons sentimentos do meu para o seu coração. Quem sabe assim, as cores voltassem aos seus dias...nem que, pra começar, essas cores fossem ainda em tons pastéis, bem clarinhos...
O fato é que te encontrei e não fiz nada disso, fui até meio distante naquele dia, eu acho...travei, na verdade!
Esse negócio de sofrer por amor mexe muito comigo. Sempre fui muito intensa nos meus relacionamentos com amigos e namorados e, infelizmente, chega o dia em que tudo muda! É fato que, muitas vezes, as coisas vem mudando e a gente não vê...ou não quer ver! Aí quando o pior acontece, a gente toma um "susto"! Mesmo que a gente já estivesse, inconscientenmente, esperando pelo inevitável, dói. E a dor é real, física mesmo!! Alguém está espremendo o nosso coração!! Sim, porque ainda tem isso, a gente acha que o sentimento está no coração, quando na verdade ele está na nossa cabeça, bem pertinho de onde fica também, a razão. Que, por falar nela, foi parar no pé. No dedo mindinho do pé. Do pé esquerdo, pra piorar!! É porque nesses momentos da vida, a emoção toma não só a cabeça e o coração, mas o corpo quase todo e só deixa o pé "raciocinando" qual o caminho mais rápido pra nos levar ao fundo do poço! Só que o pé, coitado, fica todo indeciso, confuso, inexperiente nessa função de pensar, são tantas coisas passando pela cabeça do dedo mindinho que ele fica até dormente!! É por isso que nos sentimos "desequilibrados". (O mindinho, fisicamente falando, é o responsável por isso: por nos manter de pé!).
Pois então, esse meio tempo é quando sentimos que estamos andando em círculos, que os dias passam e nada muda. Aí começamos a achar que não vamos mais gostar de ninguém como gostamos dessa pessoa e não enxergamos a luz no fim do túnel (claro,os olhos também estão tomados pela emoção e como diz Fernando Pessoa: "O que vemos é o que somos!". E, nesse momento, somos a dor, a tristeza, a escuridão.).
A pior hora do dia é a de acordar e ver que aquilo que estamos vivendo não era apenas um pesadelo e que a gente tem que reunir forças, não se sabe de onde, pra viver aquele dia inteirinho. Cada dia é uma batalha!! Interna e externa. Á noite, às vezes queremos ir deitar só com muito sono, daquele tipo que a gente cai na cama e apaga! Outras vezes não...a gente se aninha lá, de porta fechada e relembra momentos, frases ditas, juras eternas, relembra a sensação de eternidade daquela relação.
Isso tudo vai levando dias, muitas vezes meses e meses. E o pé lá...andando em círculos, chega perto do fundo do poço, mas por estar desacostumado a pensar, dá meia volta, acha que o caminho não é por ali, sei lá...
Só sei que é essa a nossa sorte! Andando, ativamos a circulação e começamos a, aos poucos, bombear razão pelo nosso corpo. É quando vamos retomando o fôlego, o apetite (pela comida e pela vida), a disposição ao acordar, o sorriso, as cores (aquelas que láááá atrás eram em tons pastéis, tornam-se mais vibrantes), enfim, retomamos a razão.
No fim, o amor sempre prevalece, sempre ganha essa guerra. O amor-próprio.
Sei que não é fácil, que muitas vezes a gente pensa que não vai conseguir e quer, até mesmo, desistir. Mas, acredite: a gente consegue. Não sem marcas, cicatrizes, tatuagens...porém, o que teríamos pra contar sem elas??? Não tenha medo de amar de novo!!
Bom, o abraço que não dei naquele dia, continua aqui, guardado junto com um monte de beijos!!!


Sua tia,

Ana






*escrita em 1º de setembro.

domingo, 16 de agosto de 2009

Levando na flauta...


E hoje, meu dia de folga, levei assim...na flauta!!




Pontuando a vida

"As reticências são os 3 primeiros passos do pensamento que continua por conta própria, o seu caminho..."
Mário Quintana


Sempre que penso nas coisas que estou vivendo, atribuo algum tipo de pontuação para cada momento. Então, situações que quero que continuem, mentalmente, pontuo com o ponto de segmento, outras que eu quero que continuem, porém, de um jeito novo, nova fase, coloco o ponto parágrafo. E assim eu vou...faço isso tão naturalmente dentro da minha cabeça que só percebi o quanto é engraçado, quando confessei a um amigo numa conversa pelo MSN. Ele ria muito!
É bem verdade que, sempre achei que tinha essa tendência ao TOC e, talvez, essa " mania de pontuar acontecimentos", seja uma das evidências( uma...porque tenho várias outras: coloco sempre o pé direito primeiro quando levanto, o rótulo das coisas tem que estar sempre virado para a frente...).
As pontuações mais usadas nesses meus trinta (e quase) um anos são as reticências e a interrogação. Costumo usar as reticências porque sempre deixo as coisas em aberto ou protelo resoluções ( é tudo uma questão de fé!rs). Enquanto não decido se coloco ponto de segmento ou ponto final, deixo "no ar" com as reticências. Apesar de dizerem que mesmo quando decidimos não agir, já estamos agindo, eu sempre prefiro pensar mais um pouco. E é aí que começo a colocar interrogações em tudo: "Porque? Pra que? Será? E se..?". Penso como seria caso fosse. Ou não fosse. Enfim, estou sempre querendo entender o motivo de certos fatos acontecerem, de certas atitudes, entender certas pessoas. Claro, isso nunca me dá respostas concretas porque existem infinitas variáveis pra tudo, então, nesse caso, quando canso de pensar e colocar interrogações, lanço sem pestanejar, as reticências...Porque elas é que deveriam estar nos finais de todos os questionamentos assim, filosóficos.
Bom, mas toda essa conversa é para dizer que acabo de decidir colocar o ponto final em mais uma questão da minha vida. Quem me conhece, sabe o quanto é raro a decisão do ponto final partir de mim, normalmente, a vida vem e impõe o , necessário, ponto final.
E é assim , ainda meio na dúvida, se fui eu ou a vida que colocou o ponto final, que afirmo que essa é uma decisão "irrevogável" por, no mínimo, 7 anos. Eu sei, eu sei...7 é conta de mentiroso...mas vai que eu repenso mais lá na frente e resolvo mudar a pontuação...
Afinal de contas, pra que inventaram o corretivo, se não para que não rasurássemos a vida???


segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Ser ou não ser??






Conversando com uma pessoa muito, muito, muito querida, ouvi a seguinte opinião a meu respeito: " Isso é coisa de menina mimada!".

Parei. Mas não visivelmente. Na verdade, visivelmente, fiquei inquieta. Cruzava a perna prum lado, cruzava pro outro, descruzava e só deixava os pezinhos juntos, encostava na mesa, recostava na cadeira...Acho que fiquei assim aquela hora e meia em que ficamos conversando.

"Mimada"...

Eu continuava parada lá atrás, naqueles primeiros minutos do encontro. Outros assuntos vieram à tona, mas eu ainda discutia comigo mesma aquele "mimada". Tentava lembrar de situações na minha vida em que eu tivesse sido, realmente, mimada.

Eu, uma filha de Oxum, de um dos tipos mais guerreiros de Oxum, seria mesmo mimada??

Sondei de outras pessoas, naquele meu jeito de fazer com que respondam o que não perguntei abertamente e NENHUMA delas falou sobre a possibilidade de "mimo" na minha personalidade. falaram sim, que não combato os obstáculos, desvio deles. Isso é fato!! Acho desnecessário o enfrentamento quando a gente pode usar de estratégias inteligentes e uma boa dose de persuasão ( como diz Mariana: " Você é o Cebolinha da nossa turma!") para conseguir o que queremos.

Ter a "sinuosidade do leito de um rio", dentre as minhas características, não é defeito. Ser mimada, sim!

E se alguém ousar falar isso de mim novamente...eu bato o pé, grito, choro e esperneio!!!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

E é isso…

peanuts220b

peanuts220b

Hoje aprendi a sepultar vivos!rs!

Não sei se, por isso, o dia foi melhor…ou se foi o conforto da companhia agradável no café da livraria.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

"...mas a vida é real e de viés..."




video

Até Parece
(Carlinhos Brown)

Até parece
Que não lembra
Que não sabe
O que passou
Não faz assim!...

Não faz de conta
Que não pensa
Em outra chance
Pra nós dois
Olha pra mim...

Não me torture
Não simule
Não me cure
De você...

Deixa o amanhã dizer!
Deixa o amanhã dizer!...



1º de junho


É horrível quando pensam algo de você e não te deixam explicar...a pessoa pode até não mudar de opinião, mas pelo menos, você tentou, expôs a sua intenção, disse o que queria dizer. Pior é assim, desse jeito que está: o outro deixando a imaginação correr solta, vendo o que nem aconteceu, tendo certeza de sentimentos que nunca existiram, pegando o resultado de todas essas elocubrações malucas e te conceituando novamente. Fernando Pessoa já disse que "o que vemos, não é o que vemos, senão o que somos". Pra bom entendedor, meia citação basta!

Importa a verdade dos fatos?? Não! Afinal de contas, a verdade já foi estabelecida e ponto final. Será interessante o dia em que as pessoas pararem de apontar os erros dos outros e repensarem sobre o que fizeram também...vão ver que, muitas vezes, as brechas para certas coisas acontecerem, foram dadas por elas! Isso justifica o erro do outro?? Não! Mas, divide a culpa. E aí, você passa a ver que ninguém nunca é o culpado sozinho numa relação. A razão vai estar sempre num pedaço da história de um e num pedaço da história do outro. Assim como a culpa. O X da questão vai estar em, assumirmos primeiramente, a nossa parte. Depois daí teremos outros olhos para o erro do outro e será mais fácil resolver essa equação.

Mas, claro, isso só é válido para relações em que o sentimento e a vontade de ficar junto no final, sejam verdadeiros. De outra forma, nem perca seu tempo...continue a fazer o que já vem fazendo: não atenda o celular, não responda os emails.


------------------------------------------------------------------------------------------------

3 de junho




Eu, chorosa.
Ele:
- Posso ver corações saindo dos seus olhos.
Eu:
- São pedaços de um coração. O meu.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

10 de junho


Só Vinícius escreve o que eu queria dizer...
Só Bethânia diz como eu queria dizer...


Você e eu/O mais-que-perfeito/Como dizia o poeta

video

O mais-que-perfeito
(Vinícius de Moraes)

Ah quem me dera ir-me
Contigo agora
Para um horizonte firme
(comum,embora...)
Ah,quem me dera ir-me!

Ah,quem me dera amar-te
Sem mais ciúmes
De alguém em algum lugar
Que não presumes...
Ah,quem me dera amar-te!

Ah,quem me dera ver-te
Sempre a meu lado
Sem precisar dizer-te
Jamais: cuidado...
Ah,quem me dera ver-te!

Ah,quem me dera ver-te
Como um lugar
Plantado num chão verde
Para eu morar-te
Morar -te até morrer-te...

-------------------------------------------------------------------------------------------------

12 de junho



Existem 2 motivos para que eu tenha colocado essa música/vídeo no dia de hoje:

1º) Vai ser a música do meu casamento.

2º) Bom, o 2º motivo é, para a maioria, uma charada. Para poucos, uma mensagem subliminar.rs!



video

O que será (À Flor da Pele)
(Chico Buarque)

O que será que me dá
Que me bole por dentro, será que me dá
Que brota à flor da pele, será que me dá
E que me sobe às faces e me faz corar
E que me salta aos olhos a me atraiçoar
E que me aperta o peito e me faz confessar
O que não tem mais jeito de dissimular
E que nem é direito ninguém recusar
E que me faz mendigo, me faz suplicar
O que não tem medida, nem nunca terá
O que não tem remédio, nem nunca terá
O que não tem receita

O que será que será
Que dá dentro da gente e que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os ungüentos vão aliviar
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
Que nem todos os santos, será que será
O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá
O que não tem limite

O que será que me dá
Que me queima por dentro, será que me dá
Que me perturba o sono, será que me dá
Que todos os tremores me vêm agitar
Que todos os ardores me vêm atiçar
Que todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus nervos estão a rogar
Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar
O que não tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem governo, nem nunca terá
O que não tem juízo


--------------------------------------------------------------------------------------------------

13 de junho




Dia de Santo Antônio. O Santo casamenteiro.

Por causa dessa fama, sempre achei que o Dia dos namorados deveria ser 14 de junho. Assim, os solteiros poderiam fazer o pedido ao Santo que, no dia seguinte, já teriam com quem comemorar a data.

Tenho uma amiga com outra teoria. Segundo ela, você faz o pedido no dia 13 do ano corrente para estar com um namorado no dia 12 do ano que virá e, assim, no dia 13 desse ano que virá, agradecer a realização da graça para o Santo.

Eu discordo!! Santo que é Santo opera o milagre da noite para o dia, de uma hora para outra! Esse negócio de fazer o pedido hoje e esperar 1 ano para que realize...dê cá meu boné!!

Desse jeito, é melhor pedir um namorado pela revista da Natura ou Avon...pelo menos, só demora 15 dias!!!


-------------------------------------------------------------------------------------------------

16-17 de junho


2 da manhã e eu continuo acordada...Tem sido assim novamente. Aliás, muitas coisas tem se repetido ultimamente...coisas que jurei não me permitir viver de novo...e NÃO vou viver!!!!!!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

"Não se assuste pessoa, se eu lhe disser que a vida é boa..."




Tenho escutado as pessoas dizerem que não estão estimuladas, que a empresa só sabe sugar, que o chefe é isso ou aquilo...Aí eu fico pensando (sim, porque tudo eu penso! Sou libriana, poxa!), se isso é motivo pra fazer corpo mole e provocar a própria demissão. Porque se eu estiver insatisfeita e puder pagar as minhas contas com outro dinheiro que não seja esse meu salário, eu mesma peço pra sair. É mais digno.

O estímulo, minha gente, em primeiro lugar, está dentro de nós! O meu estímulo é ambição de ser uma boa profissional e o orgulho de ser lembrada por isso. Não tenho a mínima intenção de simplesmente passar pelos empregos e pela vida das pessoas. Quero deixar minha marca, meu cheiro, meu selo. Tudo isso, claro, de uma forma saudável. Não costumo ser uma pessoa desmedida (apesar de ser interessante quando isso acontece, essa já é outra conversa!rs!).

Sim, claro, meu estímulo também vem dos boletos bancários que chegam na minha caixa de correspondência! Esse, eu pensava que fosse o principal estímulo de um tantão de gente, por sinal. Mas não é. Talvez, as pessoas precisem entender que trabalho não é castigo! Se você não gosta do que faz, saia do emprego, ora bolas! Se não pode deixar de trabalhar, então busque algo no seu trabalho que seja satisfatório, sei lá...! Queria eu, só fazer o que realmente gosto. Queria muito.

Se hoje estou bem mais próxima de fazer o que gosto, foi porque eu comecei fazendo o que eu odiava! A diferença é que eu tracei uma meta, um objetivo e procurei passar por cima de obstáculos como : desânimo, raiva, desesperança...E fui mostrando o meu serviço, estimulada apenas pela minha vontade de aprender, pela conquista do meu desafio pessoal.

Minha vó diz que "conselho e água, só se dá a quem pede", então quem achar que deve, reflita sobre o que vou dizer agora: Toda empresa quer sugar o funcionário, umas mais outras menos,mas todas sugam! Por isso, seja você o esperto dessa relação e sugue o que puder da empresa. Ou seja, procure aprender com as cobranças e com a experiência do sue chefe e dos outros funcionários. Aquele emprego chato, que você pensou ter sido o pior de sua vida, você vai ver...terá sido uma escola!

E tem mais: o ser humano nunca está satisfeito com nada. Nem você com seu salário, nem seu chefe com seu serviço!

Pense nisso.




segunda-feira, 4 de maio de 2009

A volta da volta!



É...pra começar, estou com muita vergonha de voltar assim... na cara de pau! Jurei não sumir, mas não deu...mudança de endereço, problemas com internet e só pude estar de volta agora!!
Mas, o que alivia a minha consciência é que não prometi nada...jurei! E só!
E todo mundo sabe que: QUEM JURA, MENTE!!!!rs


9/ 01/2009

Sexta-feira.
Hoje estou me sentindo só. Mas não é por ter mudado de endereço. É mais que isso.
Enfim começo a sentir falta de grandes emoções, de palpitação no peito, daquela ansiedade gostosa, de me perder em pensamentos durante o dia...até de briguinhas bobas hoje eu estou sentindo falta...talvez nem seja das brigas e, sim, do chamego de depois...





-----------------------------------------------------------------------------------

Algum dia de Fevereiro...


Depois de 2 meses aqui em casa, minha vó foi embora hoje. Apesar de quase não ouvir mais e passar a maior parte do dia calada, costurando...a casa ficou vazia. Voltei do trabalho e, mesmo sabendo que se ela estivesse aqui, já estaria dormindo, senti a casa ôca!

Amanhã cedo quando eu sair, quem vai dizer: "Senhor do Bonfim te acompanhe" e, logo depois, disparar uma lista de sacanagens???rs! Era assim todos os dias. Aliás, ela É assim todas as horas. Desbocada como ela só! Diz que quer morrer, mas quem acredita?!? Eu mesma não!! No aniversário do ano passado, liguei pra ela e desejei "muitos anos de vida"! Ela brigou comigo!hahahaha!! Mas eu nem tive filho ainda pra ela querer morrer agora!! É cada uma...

Acho minha vó uma pessoa abençoada por uma série de razões (inclusive, por ter conseguido fugir de Lampião!!rs!). Apesar dos seus 96 anos, a luz dela ainda é muito forte.

E, por ela ter voltado para casa, a minha ficou às escuras...


Essa é ela...dançando Créééééú!!rs!
-------------------------------------------------------------------------------------------



2/3/2009



Porque será que eu continuo obcecada por essa coisa chamada CONSIDERAÇÃO, mesmo sabendo que a maioria das pessoas com as quais eu convivo só sabem o que é isso quando é para EU ter por elas???



"Não tenho nenhuma religião instituída, mas tenho uma profunda visão religiosa, sagrada, da natureza, das pessoas, do outro..."

Lya Luft


Talvez seja essa "visão sagrada" do outro que falte à : VOCÊ, VOCÊ e VOCÊ !!
É, talvez seja isso...


------------------------------------------------------------------------------------------
Algum dia de Março...


Hoje estou com saudades.
Não posso falar de quem. Na verdade, além de saudade, estou com uma dúvida:
Posso sentir saudade de 2 pessoas? É feio isso??rs!



-------------------------------------------------------------------------------------------

29/3/2009





Aniversário de um dos meus maiores amores: Salvador.

460 anos!

Primeira capital do Brasil, Salvador é dona de tantas qualidades que até gera um certo ciúmes por parte de outros Estados.

Aqui as coisas e as pessoas parecem ser mais coloridas. E são. São, por conta do Sol que dá à nossa pele essa "morenice" e ressalta as cores das belezas naturais da cidade.

E o povo??? Ahh, igual a esse não tem! Os soteropolitanos trazem o turista para dentro de casa! Levam para comer o caruru de 7 meninos, resultado de uma promessa que a vizinha da sogra do amigo, fez. Falta de educação que nada...a gente gosta de receber as pessoas na nossa casa, gostamos de incluir todo mundo na nossa festa! E, num minuto, quem era "de fora" vira " de dentro", da família!!

Tenho cá pra mim, que esse sotaque meio cantado, foi colocado em nós de propósito. Afinal, pessoas felizes, cantam. E nós somos felizes mesmo com as adversidades. Sabe porquê? Porque isso é ser inteligente! E baiano burro nasce morto, todo mundo sabe disso! De que adianta ficar só no lamento?? "Pobre de quem acredita na glória e no dinheiro para ser feliz!", já disse (cantando) o baianíssimo Dorival Caymmi.

Parabéns, minha terra!!!


---------------------------------------------------------------------------------------------

?????

Acho que descobri porque aparento ter menos de 30:
Porque a minha convivência maior é com pessoas mais jovens.

Acho que descobri porque gosto de homens mais velhos:
Porque a minha convivência maior é com pessoas mais jovens.

BINGO!!!

-----------------------------------------------------------------------------------------------

3/4/2009


Sei lá viu, o dia não foi legal...sensação ruim, mau-humor, irritação, pouco sorriso e quase nenhuma gaiatice.

Essa pessoa não sou eu. Essa é aqueeeeeeeeela pessoa daqueeeeeeeeela outra época lááááááááá atrás, no início do blog.

O que eu sei é que misturado a isso tudo, paira sempre na minha cabeça, o medo
. Medo do "vale a pena ver de novo". Até porque nem vale a pena! Não mesmo.

Eu deveria ter continuado com a terapia. Eu deveria ter esperado a psiquiatra me dar alta dos remédios. Agora tô aqui...com a maior sensação de "gripe mal curada"!

Engraçado é como nessa horas, os meus pensamentos correm feito loucos na minha cabeça. De um lado para o outro. Como se tivesse acendido a luz de alerta e os neurônios estivessem trabalhando em pânico para resolver tantas questões emocionais pendentes (mas são os neurônios que resolvem as questões emocionais??Hum...antes fossem!).

Ah, os malditos traumas. Cicatrizes. Recalques. Sou toda tatuada por dentro. Talvez quem me veja, nem diga. A minha briga é interna, é minha comigo mesma. Por mais que eu escreva aqui ou me pendure no ombro amigo de Mari, nunca digo tudo. Mas não é porque eu quero, é porque não consigo de verdade. Tem sensações, medos, inseguranças que, por mais que eu abra a boca, não consigo articular palavra alguma, não sai som. Porque é inexplicável. Íntimo demais, talvez. Quem sabe íntimo demais até pra mim...

E é essa a minha angústia: querer dizer, colocar pra fora e não conseguir...ficar afônica.

"Por mais que eu pense, que eu sinta, que eu fale
Tem sempre alguma coisa por dizer..."
Hebert Vianna


------------------------------------------------------------------------------------------------


6/4/2009


Ele falava de sentimento.
Então, eu perguntei:
- De que cor é a saudade?
Ele:
- A saudade, Ana Paulinha, tem a cor da pele de quem nos faz falta.


----------------------------------------------------------------------------------------------

4/5/2009


Tá vendo só?? Estava tudo devidamente guardado no meu caderno!!rs!